Árvores em filmes

As árvores e áreas verdes despertam uma série de sentimentos nos seres humanos, que estabelecem diversas relações com elas, bem retratadas nas artes e literatura. Hoje focarei apenas na sétima arte, elencando alguns filmes que de alguma forma relacionam-se com árvores ou áreas verdes urbanas e rurais. Creio que essa lista é bem mais extensa, por isso aceito sugestões para incrementá-la. No entanto, essas poucas indicações valem a nossa audiência.

O Homem que plantava árvores (The Man Who Planted Trees) – 1987

Diretor: Frédéric Back; Texto: Jean Giono. País: Canadá.

Trata-se de um curta de animação vencedor do Oscar, cuja história é sobre o longo e bem sucedido esforço de um pastor em reflorestar um vale árido e desolado. O estilo de animação é maravilhoso, em tom embaçado e impressionista, somado a um efeito enigmático. O filme possui cerca de 30 minutos de duração e vale a experiência. Achei o filme legendado dividido em 3 partes no youtube, seguem os links:

http://www.youtube.com/watch?v=sFrLlAG7WaA&feature=results_video&playnext=1&list=PL63D89861EBBA1764

http://www.youtube.com/watch?v=QYFvUchMgcg&feature=results_video&playnext=1&list=PL63D89861EBBA1764

http://www.youtube.com/watch?v=akdkaK33Fdc&feature=results_video&playnext=1&list=PL63D89861EBBA1764

 

Avatar – 2009

Diretor: James Cameron. País: EUA.

O filme ilustra bem a conexão físico-química e energética dos humanoides azuis com o planeta que vivem (Pandora) e a forma como respeitam e veneram a natureza. Eu destaco a relação que possuem com a Casa da Árvore, cuja destruição poderia afetar a rede neural bio-botânica de Pandora, segundo a cientista Grace (adorei essa parte). A relação mágica com a Árvore das Almas é intrigante e psicodélica, também vale a experiência.

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=1KsHbSIjbGo  

 

O Jardim (The Garden) – 2008

Diretor: Scott Hamilton Kennedy. País: EUA.

Documentário indicado ao Oscar que relata a luta de agricultores da região de Los Angeles contra a desapropriação. Após os motins ocorridos em 1992, o governo local implantou um projeto visando ocupar a população pobre rebelada através da concessão do direito de plantar em terrenos vazios, o que acabou criando o maior jardim urbano dos EUA. No entanto, anos depois conflitos de interesses acabaram comprometendo o processo, prevalecendo o interesse de especuladores e poder público. Apesar disso, muitos agricultores não desistiram e seguiram lutando. Vale assistir.

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=LmEPigRmTXQ

 

A Cadeia Verde (The Green Chain) – 2007

Diretor: Mark Leiren-Young. País: Canadá.

O filme trata da batalha entre madeireiros e ambientalistas no Canadá, mostrando uma série de monólogos interligados com diversos relatos reais sobre o tema. O filme tem um viés sarcástico e irônico que me agrada, provocando quem assiste, independente se pende mais para os ambientalistas ou para a indústria madeireira.

Trailer 1: http://www.youtube.com/watch?v=MBSowgCJzPE&feature=related

Trailer 2: http://www.youtube.com/watch?v=pAwU5dX-w9w&feature=related

 

Lemon Tree – 2008

Diretor: Eran Riklis. País: Israel, Alemanha e França.

Trata-se de um filme de ficção baseado em fatos reais. A história começa quando o primeiro-ministro de Israel se muda para uma casa onde ao lado mora uma viúva palestina que cultiva limões. Ele vê o pomar como potencial local para terroristas se esconderem e atentarem contra a sua vida. Sua decisão, obviamente, é articular a destruição das árvores e a viúva se vê obrigada a enfrentar judicialmente o seu novo vizinho, na tentativa de evitar o corte dos limoeiros que herdou do pai e que tanto ama. O filme é lindo, envolve o amor por árvores e relações humanas dentro de um cenário político tenso. Ganhou, inclusive, o prêmio Panorama dado pela audiência do Festival de Berlim. Vale a pena assistir.  

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=GpxXp5XOqLw

 

Taking Root: The Vision of Wangari Maathai – 2008

Diretor: Alan Dater. País: EUA.

O documentário conta a história dramática de Wangari Maathai, uma ativista queniana que começou a plantar árvores voluntariamente e acabou gerando um movimento nacional em prol da conservação ambiental, promoção dos direitos humanos e defesa da democracia. Em 2004, ganhou o Nobel da Paz. É dela a frase: “As árvores foram parte essencial de minha vida e me ensinaram muitas lições. Elas são símbolos vivos de paz e esperança. Uma árvore tem suas raízes no chão e, mesmo assim, ergue-se para o céu. Ela nos diz que, para ter qualquer aspiração, precisamos estar bem assentados e que, por mais alto que possamos chegar, é de nossas raízes que tiramos nossa base de sustentação” (Wangari Maathai). Vale assistir o filme, assim como ler a biografia dessa mulher incrível.

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=gzp_GYVv7y0

 

 

A Árvore (L’arble) – 2010

Diretora: Julie Bertucelli. País: França/Austrália.

O filme estava até a pouco tempo em cartaz, mas não confunda com outro filme: a Árvore da Vida. Em A Árvore, a história gira em torno de um casal que vive com seus quatro filhos, quando inesperadamente morre o pai. A família fica extremamente abalada, cada um tentando superar a fatalidade do seu jeito. O que mais encanta é a reação da filha de 8 anos, que evita enfrentar a morte do pai e acredita que o seu espírito vive em uma grande figueira no jardim, onde passa horas sentindo a presença do pai. Drama bom de assistir.

Trailer: http://cinema.uol.com.br/ultnot/multi/2010/11/17/040298336ED0A11307.jhtm

 

A Árvore da Música – 2009

Diretor: Otávio Juliano. País: Brasil.

O documentário aborda a importância do pau-brasil para a música erudita, e as consequências que a sua extinção pode trazer para a música. A madeira da árvore tornou-se vital para o som dos violinos e outros instrumentos de corda, que desde os tempos de Mozart, quando foi utilizado pela primeira vez, músicos e fabricantes de instrumento de todo o mundo ainda não descobriram uma madeira de qualidade comparável que pudesse substitui-lo. Muito bom.

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=6c5VzZ3wJA4

 

The Healing Gardens of New York

Diretora: Alexandra Isles. País: EUA.

Documentário que aborda a transformação na vida das pessoas após a implantação de jardins em Nova Iorque. Fala da importância das áreas verdes urbanas como fonte de bem estar emocional e qualidade de vida. Ainda não consegui acesso a uma cópia, Se alguém tiver me avise.

 

Meu Pé de Laranja Lima – 1970

Diretor: Aurélio Teixeira. País: Brasil

Um clássico filme nacional baseado na obra de José Mauro de Vasconcelos. Conta a história de Zezinho, um dos filhos de uma família pobre que muda de casa e no quintal da nova moradia o menino encontra um pequeno pé de laranja lima. Depois do estranhamento com aquela arvoreta, Zezinho inicia uma relação de amizade e confidências com o vegetal. Vale a pena assistir de novo.

Anúncios
Esse post foi publicado em Árvores, árvores e artes, árvores e cinema, filmes com árvores, homem e natureza e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Árvores em filmes

  1. que legal isso simplesmente demonstra que o ser humano também faz parte do meio natural…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s